right_side

RENATA PEREIRA CORREIA ®




Genuínas e ingénitas locuções ladeadas por abismos.



•Autoria dos poemas: © Renata Correia - Reprodução Proibida sem autorização do autor. Todos os direitos reservados


Todas as obras, escrita e conteúdos protegidos e registados no Instituto Geral das Actividades Culturais (IGAC) no nome artistico " Renata Pereira Correia" .

Direitos protegidos pelo artigo 12 dos Direitos de Autor e Direitos Conexos. Qualquer reprodução punida por lei.













Sou criatura apaixonada pela vida,
Cultivo o sonho,
Tento transmitir a magia enquanto escrevo,
Tornar-me prática enquanto falo,
(...)

Sonho com paixão,
Vivo numa constante ilusão,
Que me torna perene,
Na única vida que quero.
(...)


Vivo cegada,
Por me descobrir,
Sou feliz no meu nada,
Que para mim é muito,
Grande e inalcançável,
(...)

Bio

Renata Pereira Correia nasceu em Oliveira de Azeméis em 1980. Profissionalmente ligada à área da Animação Sociocultural e da Educação, sempre teve uma forte ligação com a actividade artística, nomeadamente com a escrita, através da qual buscava, desde jovem, as respostas a muitas perguntas prementes do mundo global. Colabora em alguns sites de poesia e de literatura, fazendo nomeadamente parte de um clube literário online, participa em blogs de outros escritores, e com os seus poemas dá voz a fotos captadas por fotógrafos amadores e profissionais.

1º Livro publicado

1º Livro publicado
No sentir desta poetisa, o mundo é como uma claquete de realização de filmes, onde a ficção está representada pela própria irrealidade do mundo ser uma espécie de ensaio global que regista as várias tentativas dos ensaios individuais que vai se vivenciando(...)

Livro " Ensaios de Ficção"

Livro " Ensaios de Ficção"
Editora Temas Originais

Encomenda do livro

Se pretende o meu livro, via CTT, pode solicitar para:
temas.originais@gmail.com.
Os pedidos são enviados apenas para Portugal continental e ilhas.
Prazos de entrega: Portugal continental – até 5 dias
Açores – Até 15 dias
Madeira – Até 10 dias

À Venda

AVEIRO
Livraria 100ª Página
Morada:
C. C. Glicínias, Loja 37
3810-498 Aveiro
Telefone:
+351 234 480 282

BARREIRO
Livraria du Bocage, Lda
Morada:
Av. Alfredo da Silva, nº 34 B
2830-302 Barreiro

BEJA
Estudantina - Papelaria e Livraria
Morada:
Largo Escritor Manuel Ribeiro, nº 4
7800-421 Beja

BRAGA
Livraria 100ª Página
Morada:
Casa Rolão - Av. Central, nº 118-120
4710-229 Braga
Telefone:
+351 253 267 647

BRAGANÇA
Livraria Cultura
Morada:
Av. Sá Carneiro, nº 216
5300-252

Bragança
Papelaria Popular
Morada:
Av. Almirante Reis, nº 14
5300-000 Bragança

COIMBRA
Almedina Estádio Cidade de Coimbra
Morada:
Rua D. Manuel I, nº 26/28
3030-320 Coimbra
Telefone:
+351 239 406 266

Livraria Casa Castelo
Morada:
Rua da Sofia, nº 47/49
3000-309 Coimbra
Telefone:
+351 239 853 306

ÉVORA
Intensidez Bibbliocafé
Morada:
Rua Escrivão da Câmara, nº 10/10A
7000-524 Évora
Telefone:
+351 266 735 735
Fax:
+351 309 934 169

FUNCHAL (MADEIRA)
Livraria Esperança
Morada:
Rua dos Ferreiros, nº 119
9000-082 Funchal

GUARDA
Digipaper
Morada:
Rua Comandante Salvador do Nascimento, Loja B
6300-678 Guarda

GUIMARÃES
Livraria 100ª Página
Morada:
CAE São Mamede - Rua Dr. José Sampaio, nº 17-25
4810-275 Guimarães

LEIRIA
Livraria Boa Leitura
Morada:
Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, Lote 2, Piso -1, Loja 4
2415-376 Leiria

LAGOS
Livros da Ria Formosa
Morada:
Rua Vasco da Gama - Edifício Vasco da Gama, Loja L
8600-722 Lagos
Telefone:
+351 282 788 211

LISBOA

Almedina Atrium Saldanha
Morada:
Praça Duque de Saldanha, nº 1
1049-047 Lisboa
Telefone:
+351 21 357 04 28

Livraria Barata
Morada:
Avenida de Roma, nº 11A
1049-047 Lisboa
Telefone:
+351 21 842 83 50

Livraria Ler
Morada:
Rua Almeida e Sousa, nº 24C
1350-011 Lisboa
Telefone:
+351 21 388 83 71

Livraria Letra +
Morada:
Rua Filipe Folque, nº 12A
1050-113 Lisboa
Telefone:
+351 21 352 20 34

MASSAMÁ (QUELUZ)
Livraria Papelaria Modo
Morada:
Rua Prof. Dr. Sousa Martins, nº 104 - Loja
2745-848 Queluz
Telefone:
+351 21 439 32 78

PENICHE
Papelarias Mário de Sá Bandeira (Loja 1)
Morada:
Avenida 25 de Abril, nº 94
2521 Peniche
Telefone:
+351 262 781 240

Papelarias Mário de Sá Bandeira (Loja 2)
Morada:
Rua dos Hermínios, nº 54
2521 Peniche

PORTALEGRE
Livraria Tavares
Morada:
Rua do Comércio, nº 90/2
7300-160 Portalegre

PORTO
Fnac Santa Catarina
Morada:
Edifício Palladium
Rua Santa Catarina, nº 73
4000-449 Porto
Telefone:
+351 707 31 34 35

Livraria Nunes
Morada:
Avenida da Boavista, nº 887
4100-128 Porto

Índex Livraria
Morada:
Rua D. Manuel II, nº 320 - R/C
4050-344 Porto

Unicepe
Morada:
Praça de Carlos Alberto, nº 128 A
4050-159 Porto

SANTARÉM
Livraria Caminho
Morada:
Rua Pedro Santarém, nº 41
2000-223 Santarém

SETÚBAL
Livraria Hemus
Morada:
Rua Serpa Pinto, nº 20
2900-641 Setúbal
Telefone:
+351 265 221 142

VILA NOVA DE GAIA
Almedina Arrábida Shopping
Morada:
Praceta Henrique Moreira, nº 244 - Afurada
4400-475 Vila Nova de Gaia
Telefone:
+351 22 370 19 89

VISEU
Livraria Pretexto
Morada:
Rua Formosa, nº 93/103
3500-135 Viseu

ONLINE
Wook
Site:
http://www.wook.pt/
Armazém L
Site:
http://www.armazeml.com/


Genuínas locuções

Newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Seguidores

Locuções em rede

Partilha no Facebook Partilhar
In:

Cavalgo fortemente



















Cavalgo fortemente,
Percorro incansavelmente,
Vivo,
Mais uma noite,
Mais um sorriso,
Na lagoa,
Lagoa dos desejos,
Onde mato a minha sede.

Sede insaciável,
Nesse ser galopante,
Que mora em mim,
Num só dia,
Num só instante.
Para sempre será,
Um galope eterno,
Que não mais parará,
Bem-aventurada e audaz,
Cavalgarei,
Até ao novo amanhecer.

Foto Alba Luna

In:

Divulgação no site Delações do Ego




http://blogdelacoesdoego.wordpress.com/

Divulgação do lançamento do livro " Ensaios de Ficção - Genuinas e ingénitas locuções ladeadas por abismos" no site do autor da capa - Pintor, ilustrador, e cartoonista Ricardo Campos.

In:

Convite para o Lançamento do Livro " Ensaios de Ficção"









A autora, Renata Pereira Correia, e a Temas Originais têm o prazer de o convidar a estar presente na sessão de lançamento do livro “Ensaios de Ficção” a ter lugar no Ateneu Comercial do Porto, sito na Rua Passos Manuel, 44, Porto, no próximo dia 26 de Setembro, pelas 16:00. Obra e autora serão apresentadas pela escritora Elsa Serra e pelo pintor e ilustrador Ricardo Campos.

In:

Lançamento do livro " Ensaios de Ficção"















(...)No sentir desta poetisa, o mundo é como uma claquete de realização de filmes, onde a ficção está representada pela própria irrealidade do mundo ser uma espécie de ensaio global que regista as várias tentativas dos ensaios individuais que vai vivenciando. Mundo esse ladeado por abismos que reflectem os contratempos e dificuldades que vão surgindo no percurso evolutivo de aprendizagem e crescimento, na demanda do sonho, em direcção a uma luz imensa e profunda que vai clareando a cada novo ensaio, a cada nova descoberta, que a faz crescer como ser humano. Na sua genuína alma, anseia pelo encontro com a luz no final de cada percurso. Transpondo para as suas ingénitas palavras aquilo que vê, sente e decifra, procura sempre reencontrar a serenidade e o equilíbrio.
Na Editora Temas Originais, é autora de " Ensaios de Ficção"

In:

Tela pintada nos céus















Consigo voar,
No encontro secreto das palavras,
Percorro-me incessantemente,
Até a um limite inatingível.
Nesse olhar que quero colorir,
Na tela que pinto nos céus,
Componho mais um ensaio.
Traço com o meu olhar,
As imagens deslumbrantes,
Que me deliciam,
Que formam o arco-íris,
Desenhado em mim,
Subtilmente esculpido,
Por um qualquer artista.

Foto: Nuno de Sousa

In:

PARTICIPAÇÃO NO FILAN ART`S II

FILAN Art´s II
Programa para inauguração de FILAN Art´s II

Dia 4 de Setembro de 2009
21H 30M-Recepção dos Artistas inscritos.
22H 00M-Início da Conferência/Debate,
"A ARTE COMO DESCOBERTA"
com artistas presentes, moderado e apresentado
por Angelo Vaz
23H 00M-Entrega de Certificados de Participação,
aos Artistas.

Nota: Todos a Artistas devem entrar descalços,
para a Inauguração. Angelo Vaz, irá criar uma
perfomance no final da Exposição, intitulada de:

"TROCA DE PÉS"


Artistas inscritos para FILAN Art´s II
a realizar de 4 de Setembro a 24 de Outubro de 2009
na Cooperativa "A FILANTRÓPICA", Póvoa de Varzim
em parceria com GALERIA CAIS ART´S:

RENATA CORREIA-Fotografia
RICARDO CAMPOS-Pintura e Desenho
E ainda outros artistas

In:

Livro "Ensaios de Ficção" Sai brevemente






Autor da capa:Ricardo Campos







A biografia da vossa poetisa descreve-se assim no livro "Ensaios de Ficção"
Renata Pereira Correia nasceu em Oliveira de Azeméis em 1980. Profissionalmente ligada à área da Animação Sociocultural e da Educação, sempre teve uma forte ligação com a actividade artística, nomeadamente com a escrita, através da qual buscava, desde jovem, as respostas a muitas perguntas prementes do mundo global.
Colabora em alguns sites de poesia e de literatura, fazendo nomeadamente parte de um clube literário online, participa em blogs de outros escritores, e com os seus poemas dá voz a fotos captadas por fotógrafos amadores e profissionais. No sentir desta poetisa, o mundo é como uma claquete de realização de filmes, onde a ficção está representada pela própria irrealidade do mundo ser uma espécie de ensaio global que regista as várias tentativas dos ensaios individuais que vai vivenciando. Mundo esse ladeado por abismos que reflectem os contratempos e dificuldades que vão surgindo no percurso evolutivo de aprendizagem e crescimento, na demanda do sonho, em direcção a uma luz imensa e profunda que vai clareando a cada novo ensaio, a cada nova descoberta, que a faz crescer como ser humano. Na sua genuína alma, anseia pelo encontro com a luz no final de cada percurso. Transpondo para as suas ingénitas palavras aquilo que vê, sente e decifra, procura sempre reencontrar a serenidade e o equilíbrio.
Na Temas Originais, é autora de:

ENSAIOS DE FICÇÃO - Genuinas e ingénitas locuções ladeadas por abismos

(Será lançado livro Brevemente)
http://www.temas-originais.pt/autores/renata_pereira_correia.htm

In:

Criaturas do mundo











Criaturas do mundo,
Que acolhemos,
Sentimentos comuns,
Os que partilhamos.
Doçura de vida animal,
Que assistimos ternamente,
Vida que respira,
Que transborda de magia,
Que nos paralisa,
Por breves momentos.
Feliz daquele,
Que tão somente assiste,
Deleitando-se,
No que contempla e retrata.

Foto: Nuno de Sousa
http://nunoalexsousa.blogspot.com/

In:

Amor incessante na voz da poetisa

Num leve sonho...ansiei este momento..o momento em que pudesse dar voz aos meus poemas, tentar entrenhar em que me lê, o que sinto quando escrevo. Aqui deixo, as palavras que dou côr e que soletro com fervor.

In:

Caminho















Caminho audaz,
Trilho palmilhado,
Sorrisos espelhados,
Voz que ergue,
Sentimento que marca,
Delírio que sente,
Fantasia que habita,
Luz que não esvanece,
Certeza encontrada,
Seres completos,
De um tudo que é nada,
De um nada que é tudo,
Sempre…infinitamente belo.

Foto:Nuno de Sousa
http://nunoalexsousa.blogspot.com/
19 Agosto 2009

In:

Jardins de sentidos











Jardins púrpura,
Perfume que embriaga,
Marca impregnada no corpo,
Traz um cheiro reconhecido,
Embalando momentos de outrora,
No aroma faz-nos levar,
Levando a um lugar paradisíaco,
Apaixonadamente olha-se em redor,
Absorve-se significados que alentam,
Como se de um elixir se tratasse,
Para a alma, genuína… e púrpura.


Foto: Nuno de Sousa
http://nunoalexsousa.blogspot.com/
19 Agosto 2009

In:

Paisagens cor de lima

Paisagens cor de lima,
Lima doce e aprazível,
Que a mim trouxeste,
Mais serenidade e paz.
Terras de peculiares gentes,
Embrenhadas no seres que divagam,
Cidade embalada pelo rio que delimita.
Marcas de uma época já vivida,
Avivaste a paixão que me habita em mim,
Que me percorre o corpo,
Que se apodera de um todo que desconheço completamente,
Que se mistura com o nobre sentimento,
De uma inspiração e de uma vontade incontrolável,
A Vontade imensa de dar voz ao que sinto.

( Recordações da linda cidade de Ponte de Lima)

In:

Poetisa que sou

Poetisa que sou,
De sorriso aberto para a vida,
De sorriso que trilha caminhos árduos,
Árduos mas enriquecedores e completos,
Olho ternamente tudo que me rodeia,
E torno o olhar,
Espelho da alma do que em mim reproduzo,
Possuo o ténue desejo de viver eternamente,
Criança imortal do que em mim se afigura.

In:

Magia essa inexplicável

Magia essa inexplicável
Aquela que sinto,
Divinamente enriquecida por um paranormal sentir,
Revestida por uma sinceridade,
Difícil de admitir,
Mas tão concreta e imortal.

Nas asas do tempo sou levada,
E é no tempo que encontro respostas.
Serei eu o mito idealizado?
A transparência responderá.

Na convicção do sentir,
Perceber-se-á que não sou mito,
Sou real,
Real no pensar, no sentir e no dizer.

Provas concretas não há,
Somente o que e consegue alcançar,
Com palavras proferidas.
13 Agosto 2009

In:


Amor incessante,
Se o amor que tenho,
Se transformasse em algo,
Seria andorinha que voa,
Seria flor que embriaga,
Seria mar denso e profundo,
Esta paixão que me toma,
Que me reflecte na imensidão,
Que faz das pedras da calçada,
Patamares crescentes em construção.
Consigo embeber incessantemente,
O que me consome,
Quebrar desejos sem fim,
Passar por mil suplícios.
E correr em direcção ao vento.
A minha alma flutua,
No sabor doce da criança feliz que aqui habita,
Brinco e salto no imaginário que produzo,
Extremidade do ser,
Escondida na quimera do sonho,
Utopia que vivo sem pensar,
Índole que acolho sem discorrer,
Carácter este complexo,
Tão deliciadamente aprazível para que o conhece,
Na integra será sempre recôndito e secreto,
Num amor que possuiu e que eterniza.

Foto: Daniel Pedrogam
http://danielpedrogam.com/
Modelos:Johny e Debby
14 Agosto 2009

In:

Poetisa que sou

Poetisa que sou,
De sorriso aberto para a vida,
De sorriso que trilha caminhos árduos,
Árduos mas enriquecedores e completos,
Olho ternamente tudo que me rodeia,
E torno o olhar,
Espelho da alma do que em mim reproduzo,
Possuo o ténue desejo de viver eternamente,
Criança imortal do que em mim se afigura.

In:

Miragem

Miragem perdida,
Em tempos de outrora,
Vazios esquecidos,
Em pessoas deixadas,
Na bruma do tempo,
Tecemos inigualáveis feitios,
Silencia-se sentidos,
Olha-se em redor,
E medita-se,
Escala-se íngremes montanhas,
Conquistando o inalcançável poder de perfeição,
Daquilo que conjecturamos.

In:

Porto de majestoso sentido












No Rio Douro que passa,
Vislumbramos gentes com alma,
Paisagem que se torna quadro,
Esculpido em efémeros detalhes,
Marcas os que por lá passam,
Vais na lembrança dos que navegam,
Deixas aos que ficam,
A água pura que corre,
Repleta de marcadas afecções,
Fugaz e com alma,
És tu,
Porto de majestoso sentido.
11 Agosto 2oo9

In:

Multidão de vontades

Ruas e ruelas,
Multidão de vontades,
Semblantes marcados por tempos já vividos,
Cogitei o que teriam vivido outrora,
Reflecti em pensamento,
Soltei um suspiro de deliberação,
Vincado por uma transparência inigualável,
Entrevi paredes que escondem recantos,
Abdiquei que os olhos fizessem parte de mim,
Absorvendo apenas com a alma que possuo,
Em cada acordar contemplei,
A visão de um pobre mortal,
Sublime na imagem transparecida pelo sonho conduzido.

In:

Secretamente

Dizes secretamente,
Que conceitos absorves,
Procuras no semelhante,
Vozes caladas,
Que até no silêncio,
Transmitem sentir,
Olhas para o outro lado,
E deixas-te levar no encantamento,
Falas com coisas imóveis,
Para na descoberta,
Percorrer incessantemente o outro que contemplas,
Numa exaustão plena, mas aquieta no sentir.

In:

Encontro inusitado

Iluminada por olhar profundo,
No contentamento descontente,
Pelo que ainda não se conhece,
Nas palavras que ainda não foram proferidas,
Nos sonhos que ainda não foram sonhados.
Figura essa esbelta e divina que se admira,
Aquela que se contempla por trás de uma imagem,
Imagem reproduzida,
Somente daquilo que queremos ver,
Daquilo que queremos sentir.
Passado o caminho longo e sinuoso,
Atingimos a perfeita liberdade,
Liberdade afortunada,
De um qualquer encontro inusitado.

In:

Grupo de Fãs Facebook "Ensaios de Ficção"

Criei o grupo de fãs de "Ensaios de Ficção" no Facebook.
Há muito que desejava cria-lo, para que os leitores, pudessem acompanhar melhor as minhas genuinas locuções.
Depois de alguns incentivos eis que surgiu e já está disponivel.
Obrigado a todos pelo apoio e por acompanharem sempre o percurso dos meus Ensaios.
Boas leituras!!

In:

Sentir sem limite

Corro atrás do tempo,
Mas o tempo não sente,
Voo até a eternidade,
Mas asas não batem,
Percorro o infinito,
Sem saber o final,
Digo segredos ao vento,
Mas ele não ouve,
Disperso-me no que vejo,
Mas olhos não vêm,
Sonho sem parar,
Mas o sonho não experimenta.

In:

Enaltecida grandeza













Direcciona-se o olhar para o que se enaltece,
Vislumbra-se a cada passo um limiar de grandeza,
No júbilo do insondado contentamento,
A alma é invadida pelos sentidos retidos,
São rasgadas réstias de tudo o que se acolhe,
Da veracidade não se escapa,
Veracidade essa que nos faz sonhar,
Tornando genuína e perene a vontade de sonhar.